Leituras do final de semana – 24/4/2017

Carros que andam sozinhos, renda mínima e uma 3 malucos que saíram do Rio para Nova York de Carro em 1928. Eis as minhas leituras do final de semana.

Carros que andam sozinhos estão chegando. O que vai acontecer?

Os carros autônomos estão chegando e vão mudar radicalmente o que sabemos sobre mobilidade. Acidentes vão diminuir, seguros ficarão mais baratos, e o custo de moradia também, pois com a possibilidade de ler livros, checar e-mails ou ver séries durante o deslocamento, mais gente poderá morar mais longe do trabalho. E muitos motoristas profissionais perderão seus empregos. Como nos preparamos?

Um texto excelente de Nabeel Hyatt traz um panorama sobre “onde estamos” em relação à tecnologia, arrisca previsões sobre os impactos e discute algumas soluções.

Avanço dos robôs faz EUA discutirem renda mínima

Assunto que corrente para nós brasileiros, a instituição de um programa de renda mínima (“basic income”) tornou-se um “hot topic” nos EUA diante do inexorável avanço da automação e da inteligência artificial, que fatalmente destruirá milhões de empregos nas próximas décadas.

A maior incubadora de startups do Vale do Silício iniciou um “experimento”: dar US$ 1.500 por mês para famílias sem pedir nada em troca. Eles pretendem analisar o impacto, medir como as pessoas reagem, se ficam mais felizes, se procuram emprego etc. para entender melhor essa ferramenta e ter elementos para eventualmente aplicá-la em larga escala. Eles descrevem a experiência em seu blog.

Já o recém-eleito congressista democrata do distrito onde ficam as principais companhias do Vale do Silício, um economista de Stanford filho de imigrantes indianos que trabalhou no governo Obama, está fazendo barulho com sua proposta de renda mínima — ele acha que não se deve simplesmente distribuir dinheiro, mas sim atrelar o benefício ao trabalho, por isso propõe que seja feita por meio de aumento dos abatimentos do imposto de renda para famílias de baixa renda. Uma interessantíssima matéria da Wired fala da ideia.

Uma aventura panamericana

Em 1928, três malucos saíram do Rio de Janeiro dirigindo um Ford T. Dez anos depois, chegavam de volta, depois de percorrerem 27 mil quilômetros pelas Américas. Seu objetivo era projetar a “Carretera Panamericana”, uma rodovia ligando todo o continente. Boa parte da estrada foi implantada e até hoje existe nos países das Américas do Sul e Central. No Brasil, no entanto, essa história ficou perdida no tempo. Nos anos 90, um empresário que conheceu a aventura por acaso decidiu resgatá-la, e agora a repórter Luciana Garbin, do Estadão, nos brinda com um belíssimo especial multimídia sobre o tema. Uma história incrível e inspiradora.

No meu Kindle

More Human, de Steve Hilton


Also published on Medium.